Freelancer é só gourmetização do ‘bico’ ou uma nova profissão?
3 de agosto de 2018
Como tirar uma ideia do papel? Veja na prática como é apenas um passo.
14 de agosto de 2018
Mostrar todos

‘Paulinho Bosta’ e uma dica essencial para você ter sucesso em seu negócio

No segundo post da série Freelancer, aprenda com o empresário ‘Paulinho Bosta’ uma das ferramentas mais importantes para o projeto de trabalhar por conta própria.

Os ditados populares podem ser batidos, mas é tipo conselho de vó, né? A gente nem dá muita confiança e até acha bobagem… Mas em algum momento percebe que funciona. Se você quer investir na sua carreira de freelancer, lembre-se disso: a propaganda é a alma do negócio, meu caro (a)!

Indo diretamente ao ponto: você precisa colocar seu produto/ serviço à venda e divulgá-lo. Não vai adiantar muito estruturar e planejar sua carreira de freelancer, conforme sugerimos no post anterior, se você não colocar a “cara no sol”, afinal, “que não é visto, não é lembrado”, certo?

Veja aqui: Freelancer é só gourmetização do ‘bico’ ou uma nova profissão?

Ainda que você seja tímido, ou aquele profissional que geralmente trabalha sozinho e tenha uma restrita experiência em vendas, saiba que há muitos caminhos e técnicas para desenvolver essa habilidade. E o empenho e a criatividade fazem toda diferença.

Aprenda com “Paulinho Bosta”: simplicidade e divulgação sem medo!

Uma simples ideia e pouco investimento mudou a vida do empresário Paulo Silvestre, de São Paulo. Ele tem uma empresa de esterco há oito anos, mas as vendas estavam muito difíceis devido ao mercado competitivo. Com a ajuda de um amigo, resolveu brincar com a própria situação e com a piada que ouvia diariamente. Assumiu como  slogan o apelido da rodada de amigos: “Paulinho Bosta, um empresário de merda”. Pagou alguns outdoors na cidade de Bauru e fez uma foto de propaganda para os grupos de clientes que mantém no aplicativo whatsapp.

Um desses clientes colocou a foto nas redes sociais e “Paulinho Bosta” viralizou. Aumentou em seis vezes a sua venda e recebeu ligações até de outros países com o “comercial”. Mas vale lembrar: o produto tem qualidade e ele tinha potencial para atender toda a demanda. “Eu precisava de algum diferencial para chamar a atenção e quebrar o gelo. Foi quando bolei o slogan. Mas não imaginava que ia ter essa repercussão”, disse ele a entrevista do portal G1.

Tá certo que foi um caso para lá de insultado, mas vamos combinar que dá para aprender boas lições com nosso amigo do esterco, quer ver?

Como começar a vender meu produto?

Para você que  quer “bombar” como o Paulinho Bosta, precisa antes de qualquer coisa entender que vender não significa apenas anunciar, panfletar e sair por aí fazendo propaganda do seu trabalho, seja pessoalmente ou no ambiente virtual. Segura esse investimento, aí!

Antes, há todo um ecossistema que interfere diretamente na sua habilidade de vendedor, como a gente viu com o Paulinho Bosta. Então, segue algumas sugestões:

1 Domine o conteúdo do que você vende

Seja um produto ou um serviço, estude bem o que oferece. Domine as informações técnicas e, principalmente, o limite do que você é capaz de oferecer. O empresário paulista “de merda”  já tem quase 10 anos no mercado e domina bem a todas as etapas do produto que ele vende. É preciso estar na ponta da língua com todas as informações acerca do seu produto, sua produção e seu potencial. Isso vai te deixar mais seguro para conversar com seu potencial cliente e para ter a criatividade de criar algum slogan para ajudar na venda;

2 Desenvolva a empatia com os clientes

Nem precisa ter aquele “gogó” de vendedor, basta você se colocar um pouco no lugar do cliente, saber se comunicar com ele e ter disponibilidade para responder às principais dúvidas de forma que ele compreenda e fique satisfeito com a resposta. “Paulinho Bosta” cativou também pela simplicidade e por responder a quem lhe procurou. Quando estudiosos do marketing o procuraram para saber o segredo, ele respondeu: “É o que sei fazer e eu fui na simplicidade”.

  • Seja honesto e deixe claro na propaganda o que oferece. Fale de forma clara e, caso não tenha conhecimento do que ele pede, diga a verdade e peça um tempo para buscar a resposta;
  • Haja com naturalidade, sem força ser o que não é só para agradar a pessoa. Basta ser simpático e educado, não necessariamente extrovertido;
  • Ouça o que ele precisa e depois demonstre como você pode solucionar o problema dele;
  • Lembre-se: a confiança é mais importante nessa relação do que mesmo a performance de vendedor.  

3 Coloque-se na vitrine

É preciso mostrar o que você faz, e uma ferramenta essencial e de baixo custo é o networking. Antes da internet, “Paulinho Bosta” divulgou a propaganda entre seus contatos no Whatsapp. Eles mesmos o divulgaram. Ter e alimentar uma rede de contatos ajuda a divulgar o seu trabalho:

  • Fortaleça seu mindset rodeando-se de pessoas que têm os mesmos objetivos que o seu e possam trocar experiências com você. Uma boa opção é trabalhar em um coworking e participar de eventos da sua área de atuação;
  • Crie e alimente diariamente as redes sociais do seu negócio, com postagens que possam explicar o que você ou seu produto faz; tire dúvidas e interaja com os internautas;
  • Desenvolva estratégias comunicação com quem já é seu cliente, enviando informações sobre novidades por e-mail, dando vantagens e descontos para segundas compras, etc.
  • Participe de grupos nas redes sociais relacionados à sua área de atuação e inscreva-se em plataformas  que vendem serviços de serviços de freelancers.

4 Conecte-se com o mercado

É essencial ter um planejamento, mas  imprescindível ter resiliência para as mudanças. E quais as principais mudanças? As alterações de mercado. Para isso, fique de olho no comportamento de mercado, observando as tendências, novidades, concorrentes, etc. Busque informações em plataformas, revistas e meios de comunicação da sua área. Frequente encontros, cursos, feiras e locais onde circulam pessoas que estejam no seu meio atuação e possam trocar experiências. Após fazer sucesso e ter uma demanda superior ao que esperava, “Paulinho Bosta” buscou o Sebrae para pedir orientações sobre exportação e ampliação do negócio dele.

5 Inove, sempre

Ué, mas como fazer isso? Estudando. Pesquisando. Se aprimorando. Esteja sempre em um processo constante de aprimoramento, especialmente nas ferramentas que você não domina. Tem dificuldade com redes sociais? Faça um curso rápido. Falta mais organização e disciplina? Um coach pode ajudar. Hoje há uma gama de profissionais e opções de cursos de curta duração que podem auxiliá-lo. Para vender bem é preciso, acima de tudo, ter um bom produto.

6 Pós-venda é importante!

Descarte a ideia do vendi e “tchau, cliente”! Depois de oferecer o produto e/ou serviço, faz toda a diferença ter um feedback do cliente e manter um relacionamento com ele. Isso ajuda a você aprimorar mais seu negócio, fortalecer seu networking e, quem sabe, fidelizar esse cliente em futuras compras. Tudo isso é um ciclo constante que o ajuda a manter seu trabalho de freelancer próspero e com crescimento progressivo.

Inspire-se no “Paulinho Bosta” e desenvolva a sua criatividade e autenticidade para as vendas. Esse é um passo importante para quem trabalha por conta própria.

Ainda tem mais dicas para carreira freelancer. É só continuar a acompanhar nossos próximos posts. E se você quiser, pode enviar um e-mail (imprensa.curitiba@impacthub.net) compartilhando sua história ou sugerindo temas.
Traga suas ideias de impacto para a roda de conversa do Impact Hub Curitiba!

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *